Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2017

Como agem as pessoas apaixonadas?

Como agem as pessoas apaixonadas? É muito comum que as pessoas apaixonadas queiram saber se de fato, são correspondidas . Para obterem esta resposta, geralmente passam a observar os mínimos gestos do outro. Porém, nem sempre as pessoas apaixonadas agem da forma como o outro imagina. Parece que falta sincronicidade. Muitos, embora estejam extremamente apaixonados, tendem a reprimir seus atos a fim de ocultar aquilo que sentem, para não se machucar. Porém, esta inferência é perigosa, uma vez que não dá pra saber o que o outro sente, exceto se ele falar. Em alguns casos, mesmo quando os gestos, a fala, o olhar denunciam uma paixão, isto pode ser momentâneo e não se sustentar por muito tempo. O que acontece no cérebro dos apaixonados? Quando um "certo alguém" cruza teu caminho,  os centros da recompensa do cérebro intensificam a produção de dopamina, substância responsável pelo bem estar emocional, favorecendo os comportamentos de aproximação. Nesta fase é comum que as pessoas f

Você sabe dar e receber afeto?

Você sabe dar e receber afeto? Poucos responderão SIM a esta pergunta.  Uma relação afetiva (de qualquer natureza) é construída com base na troca de alguns sentimentos\comportamentos\atitudes  (capital afetivo). Para que possamos viver uma relação equilibrada é preciso que apliquemos nosso capital afetivo na relação e recebamos o mesmo tanto.  Imagine que o capital afetivo fosse composto por moedas: O respeito,  a admiração,  a confiança, a empatia,  o acolhimento, o comprometimento.  Não seria muito justo investir muitas moedas e receber poucas, concorda? Por isso, sempre que entrar em algum relacionamento, tente verificar se você está dando e recebendo o mesmo tanto de capital afetivo, pois o déficit de moedas afetivas faz desequilibrar a balança e levar o relacionamento à falência. Referências Eva Illouz. O Amor nos tempos do capitalismo. Ed. Zahar. psicologa bradesco

Você se apega demais às pessoas?

Você se apega demais às pessoas? Se você não mede esforços para estar junto a alguém, então você pode ser considerada uma pessoa  APEGADA. Considera-se "apego" um conjunto de comportamentos e atitudes que visam a aproximação. Considerando que as relações se estabelecem em função das gratificações que proporcionam, é natural que os indivíduos busquem se relacionar com pessoas que possam “preencher” suas necessidades mais elementares de afeto. Para Bowlby (2006) a ontogenia dos vínculos afetivos se desenvolve porque os indivíduos  necessitam de uma base segura, ou seja, de alguém que possa garantir segurança e por esta razão desenvolvem diferentes tipos de apego, de acordo com que vivenciaram durante as fases do desenvolvimento. O autor destaca três tipos diferentes de apego: - Ansioso – padrão de apego marcado pela dificuldade emocional de se separar do objeto do amor. Pessoas com este padrão podem exigir demonstrações excessivas de afeto da outra parte tornando, algumas vezes

Como perdoar alguém que lhe magoou

Continuação do texto Os limites do perdão Se você resolveu conceder o perdão a alguém, é porque está disposto (a) a recomeçar a relação, talvez passando-a a limpo. Porém, o ato de perdoar deve ser feito com muito critério, pois a ruptura pode ser um precedente para novas desavenças. No primeiro momento, parece tentador conceder o perdão, afinal o ofensor (na maioria das vezes) parece arrependido.  Mas, o arrependimento não basta: é necessário que haja um firme propósito de rever algumas atitudes e esclarecê-las, antes de reatar a relação. Imaginemos a seguinte situação: Um casal de namorados briga por causa de ciúmes.  Ele, transtornado, acusa sua namorada de infidelidade sem base empírica nenhuma, confiando apenas na sua "intuição" mal desenvolvida, partindo para as ofensas pessoais e talvez agressão física. O namoro termina. Muitos meses depois, eis que ele volta a procurá-la, arrependido, dizendo que a ama, que sente sua falta, que ela é a mulher de sua vida e esquecendo

09 formas de estragar um relacionamento.

Como de costume, não pretendo esgotar o assunto, mas levantar uma reflexão. Eis alguns pontos que minam qualquer relacionamento, seja conjugal, afetivo, familiar, de trabalho ou de amizade: 1- Falta  de reconhecimento da necessidade alheia. Não é apenas você que tem necessidades; o outro também as têm. Saber reconhecê-las e respeitá-las é um bom caminho para ganhar a gratidão alheia. 2- Deixar de se importar com o bem estar alheio . Bem estar não se restringe a conforto material; se estende até o bem estar psíquico. Colaborar para manter a saúde emocional das pessoas que convivem conosco pode ajudar a manter o nosso bem estar em nível satisfatório; 3- Provocar sentimentos negativos como inveja, ciúme ou raiva . Este tipo de provocação quase sempre mobiliza no outro sentimentos negativos também, e isto pode fazer com que a relação se transforme em um verdadeiro cabo de guerra. 4- Não dar espaço ao outro. Todos precisamos nos manifestar de alguma forma, mas algumas pessoas não percebem q

Como manter uma relação saudável

Como manter uma relação saudável Tenho notado que a frequência de pessoas que buscam atendimento psicológico para aprender a vivenciar uma relação saudáve l está aumentando exponencialmente.  Isto se deve às idealizações criadas (em parte) pelas Mídias e pelas redes sociais onde (aparentemente) quase todo mundo é feliz (só.. que não..😒.). A fictícia felicidade alheia desperta  sentimentos de inveja e inferioridade ao redor, causando mal-estar, e dificultando que a vivência de um relacionamento saudável, dentro dos padrões de normalidade (sem os exageros midiáticos). Para fugir desta armadilha é útil que cada casal estabeleça para si padrões  de comportamento que favoreçam a si, ao outro e o relacionamento: Para ajudar aqui vai um pequeno lembrete: Quando eu cuido de mim, deixo de ser um peso no ombro do outro; quando o outro cuida de si, deixa de ser um peso para mim. Por exemplo: Se devo tomar meu remédio as 22h, não é justo que o outro interrompa seus afazeres para me dar o remédio

Beleza é fundamental?

O Retrato de Doryan Grey -Livro de Oscar Wilde adaptado para o cinema Somos constantemente bombardeados por propagandas de "como ter um corpo perfeito", "como perder 15 quilos em uma semana", "como ter um sorriso perfeito", etc.. Tais mensagens parecem trazer em suas entrelinhas outras tantas mensagens, o que leva muitos indivíduos a questionarem se estão dentro dos padrões de beleza. Será que a beleza realmente é fundamental para estabelecer relacionamentos, conseguir emprego, aceitação dos amigos, evitar rejeição, etc? Vamos pensar sobre isto. De acordo com o dicionário Michaelis  beleza  é : be.le.za  sf  ( belo+eza )  1  Qualidade do que é belo.  2  Harmonia de proporções, perfeição de formas.  3  Mulher bela.  4  Bondade, excelência.  5  O tipo da perfeição física.  6  Coisa bela ou muito agradável. (1) Crítica:  A definição do dicionário exige uma busca mais detalhada, pois, se beleza é a qualidade do que é belo, o que seria então algo "belo&quo