Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

Você se sente amada (o)?

Você se sente amado (a), reconhecido (a), desejado (a), querido (a)?




Se você respondeu sim a esta pergunta, talvez saiba responder a pergunta seguinte:

💓O que faz com que você se sinta amado?

Se você parou e pensou muito antes de dar uma resposta, ótimo: significa que a resposta não é tão óbvia quanto parece. E assim deve ser, porque estamos falando de sentimentos. E sentimentos são bastante complexos para serem explicados em apenas uma linha.


Pesquisas recentes (Fredrickson, 2013) apontam que o amor é considerado como uma emoção. Da mesma forma que o medo e a raiva, e não é possível senti-lo o tempo todo, ficando sujeito às modificações do contexto. De acordo com esta teoria, o amor não é algo perene, mas sim, uma emoção sujeita a flutuações. Portanto, quem ama, não consegue sentir o tempo todo, e consequentemente, não vai expressá-lo sempre, exceto se levar uma vida bastante ociosa, o que é bastante improvável.
Portanto, se você se ente amado (a), é provável que em alguns momentos haver…

08 fatores que dificultam um relacionamento

08 fatores que dificultam um relacionamento08 fatores que dificultam um relacionamento



A amplitude do tema permite muitas interpretações.

Para conceituarmos a dificuldade é necessário esclarecer  como os relacionamentos se desenvolvem. Na definição de Turner e Richardf (2013), os relacionamentos passam por fases:

Nas fases iniciais ocorrem as trocas de informações básicas, cuja finalidade é promover a busca por interesses afins, ocorrendo certa idealização a respeito do outro.  


Na fase seguinte ocorre a reciprocidade de auto-revelação, quando os indivíduos se colocam de forma mais íntima, buscando estreitar o vínculo. É nesta fase que alguns relacionamentos tendem a desmoronar, pois a intimidade realista que o outro mostrou pode não corresponder à idealização oriunda da primeira fase e isto pode levar ao desentendimento.

Desnecessário alertar para os perigos da idealização excessiva, que responde pelo aumento das expectativas com relação ao outro, por isso é importante ser bastante realis…

Chantagem emocional e escravidão afetiva.

Considera-se escravidão afetiva a relação que é mantida por estratégias de dominação de uma parte sobre a outra, impossibilitando a negociação de interesses individuais. Em outras palavras, quando um manda e outro deve obedecer cegamente.


Infelizmente, esta prática tem se tornado comum na atualidade. É possível verificar que, entre alguns casais, há um dos pares tentando (e conseguindo) dominar a relação.


Um mecanismo muito comum usado para estes fins  é a chantagem emocional, que consiste em um conjunto de estratégias para criar culpa e remorso em alguém que não satisfaz os desejos e anseios dos outros.


Podemos citar como exemplo: 

um marido que não permite que sua esposa volte a estudar por ter medo de ficar sozinho a noite; a namorada que não permite que seu parceiro use barba e cabelo longo pois "acha feio e inadequado";  o namorado que exige que a parceira faça academia para perder "alguns quilinhos" e assim "manter a saúde";a esposa que faz uma série de…

Você sabe namorar?

Como lidar com o rompimento de uma relação afetiva

Como lidar com o rompimento de uma relação afetiva

Perder alguém que amamos é uma das piores dores que um indivíduo pode sentir. Neste tópico tratarei apenas dos vínculos afetivos que envolvem romances (namoros, noivados, casamentos).


É possível sobreviver ao término de um relacionamento, embora isto seja extremamente penoso nos primeiros dias. É preciso muita força de vontade para reconhecer que o jogo terminou e a necessidade de seguir adiante.
O primeiro passo é reconhecer que o relacionamento teve um fim, o que é bastante difícil pois é preciso considerar que a afetividade envolve as três dimensões do nosso ser: biológica (mecanismos cerebrais), psíquica (pensamentos e crenças) social (família e amigos).  Deste modo é preciso lidar com a ruptura de forma gradual, sem tentar esquecer de forma abrupta (tentativas de automutilação), ou usando mecanismos de esquiva (festas, baladas, viagens).
É necessário começar aos poucos o processo de desligamento apagando aos poucos as marcas do outro, …