Pular para o conteúdo principal

Porque algumas pessoas evitam envolvimentos emocionais

Tenho notado que algumas pessoas  vem apresentando enorme dificuldade em encontrar um relacionamento saudável. Este post tem como finalidade refletir sobre o que está acontecendo, sem a pretensão de esgotar o tema, que exige muito mais estudo.


Psicologa bradesco, psicologa amil, psicologa sulamerica



O mundo está mudando numa rapidez vertiginosa, levando a pessoas a se preocuparem com seu bem estar material, antes do afetivo-emocional. Falar de amor, hoje em dia, parece algo patético. Mesmo quando perguntamos o que as pessoas esperam em seus relacionamentos, a resposta em geral, apresenta um viés materialista: as pessoas procuram por pessoas que agregue algo, mas que possa se sustentar.

O avanço das tecnologias, que proporcionou o surgimento das redes de relacionamento, trouxe justamente a possibilidade de escolher pessoas pelo perfil, o que já limita bastante as escolhas.

Mesmo quando se conhece alguém fora das redes sociais, é comum verificar se o "nível" do outro é compatível, pois ninguém quer correr o risco de se relacionar com o diferente.

Porque as pessoas evitam os envolvimentos afetivos

Em geral, porque não querem cobranças, nem compromissos. Querem ser livres para ir e vir quando bem entenderem, e "ficar" com várias pessoas ao mesmo tempo, pois a oferta de pessoas disponíveis para relacionamentos abertos é bem ampla, tanto entre homens, quanto em mulheres.

Algumas pessoas desejam-se umas às outras: desejam o corpo do outro, o status quo, a posição social ou profissional, o poder aquisitivo. Infelizmente este desejo não se transforma em amor, porque existe uma blindagem contra o apego pairando no ar.

Esta blindagem se justifica, em especial pelo medo de lidar com o sofrimento, e a falta de recursos emocionais para superá-los. Vivemos em um momento sócio-histórico onde toda dor parece que deve ser suprimida. O momento exige  diversão, alegria a qualquer custo, muito prazer com o mínimo de investimento.

Não fomos programados  para lidar com situações adversas, nem com perdas, ou derrotas. Fomos ensinados a acreditar que finais felizes existem e que sofrer nos torna perdedores. Temos baixa resistência à frustração.

Mas existe esperança: se os indivíduos aprenderem que apara amar é preciso doar algo de si, e ampliar a capacidade de tolerância, aumentar o nível de respeito pelas diferenças, certamente existirá a possibilidade de vivenciar relações afetivas de bastante qualidade.




Psicologa Bradesco





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Término de relacionamento. Por que a superação é tão difícil?

O rompimento das relações afetivas provoca sofrimento comparado ao luto: falta de ar insônia, palpitações, taquicardia, são sintomas que tendem a surgir quando um indivíduo é rejeitado.
El fuego me recorre el cuerpo- el dolor de amarte. El dolor me recorre el cuerpo con las llamas del amor que siento por ti. La enfermedad del amor por ti me inunda el cuerpo. El dolor es como un furúnculo a punto de explotar de mi amor por ti. Consumido por el fuego de mi amor por ti. Recuerdo lo que me dijiste. Pienso en tu amor por mí. Me desgarra tu amor por mí. Dolor y más dolor. ¿Dónde te vas con mi amor? Me dicen que te irás de aquí. Me dicen que me abandonarás. Mi cuerpo está entumecido de dolor. Recuerda lo que te he dicho, mi amor. Adiós, mi amor, adiós". (Fisher, p. 11).
Mas porque isto ocorre?
O amor é articulado com as funções cerebrais por meio de dois hormônios que respondem pela estimulação sexual: a vasopressina nos homens e a ocitocina, nas mulheres. Estas substâncias favorecem a for…

Psicóloga sp - Crianças, adultos, casais | psicologa convenio | Psicologa Planos de saude | Bradesco | Amil | Sulamerica | Omint | Porto seguro

Psicóloga sp - Crianças, adultos, casais | psicologa convenio | Psicologa Planos de saude | Bradesco | Amil | Sulamerica | Omint | Porto seguro Atendimento por reembolso. Saiba Mais.

Maris V. Botari - Psicóloga Clínica - CRP-SP - 06/121677 Desenvolvendo Habilidades Afetivas e emocionais. 

Psicoterapia para: Crianças, Adultos e Casal 

Psicologa Bradesco, Amil, Sulamérica, Omint , por reembolso

Agendamento de 1ª consulta psicológica Whatsapp (11) 9-9984-9910

Email: psicologamaris@gmail.com
Sites:Psicologia Sem FronteirasPsicologia dos RelacionamentosPsicoterapia em São Paulo
Psicoterapia: ajudando a adquirir ou manter a qualidade da vida afetiva, pessoal e emocional.

Tratamentos indicado para:
Ansiedade, Depressão, dificuldade de relacionamento (afetivo, social, profissional e familiar), necessidade de aceitação, baixa autoestima,lidar com sentimento de culpa, como manter um relacionamento feliz, carência afetiva, dependência emocional, desmotivação, estresse, dificuldade de comunicação, di…

Como esquecer alguém?

Você estava em um relacionamento, que parecia promissor, mas de repente

As coisas começaram a desandar, e o inevitável término chegou....
ou
Estava tudo bem, mas a outra parte resolveu se desligar da relação.

Enfim, houve uma ruptura na relação, mas não no vínculo (pelo menos, da sua parte).

Supondo que todas as tentativas de reconciliação já foram esgotadas, não há muito o que fazer: o jeito é esquecer a pessoa e partir para outra relação, ou ficar algum tempo sozinho (a).

Mas como se esquece alguém?

Esta pergunta não tem resposta fácil, nem fórmula, nem dicas que funcionem de maneira eficaz, pois depende de como o indivíduo funciona afetivamente. 

No entanto, uma coisa é certa: para esquecer alguém é preciso:

1- Querer. 
O pensamento no outro não desaparecerá se você alimentá-lo. É preciso imposição de uma poderosa força de vontade, e capacidade de lidar com a dor e o vazio. Não dá pra esquecer alguém quando não se quer esquecer.

2-Força de vontade
Não basta querer. 

É preciso sustentar este que…