Pular para o conteúdo principal

Amor: significado

Amor: significado

amor na psicologia, psicologia do amor, psicologa amor, Psicologa Bradesco saúde SP, Psicologa Amil SP, Psicologa Omint SP


O que é amor pra você? O que você entende por amor será equivalente ao que os outros entendem?

Enquanto para uns é um sentimento “doce e sublime”, para outros é um tormento, uma obsessão, uma doença. 

O amor é um micromomento de emoção compartilhada entre dois seres; é aquele calor gostoso que sentimos durante uma troca de olhar, um aperto de mãos, um roçar de rosto, um beijo, um abraço apertado. Impossível traduzir tal emoção em palavras, pois o poder delas supera qualquer conceituação teórica.


No entanto, alguns estudos buscam uma explicação científica para compreender este fenômeno.
Sem ter a pretensão de esgotar este assunto que é amplo, os próximos parágrafos são apenas um exercício de compreensão sobre o tema

O amor romântico é uma construção sócio-histórica, pois nas sociedades antigas as relações entre pares não eram baseadas na paixão, mas em práticas relacionadas à sobrevivência. O amor romântico teve suas origens no século XII e

Caracterizava-se como amar o amor mesmo que para isso fosse preciso sofrer até a morte. O sentimento amoroso torna-se uma crença, que se mantém viva na busca da felicidade plena, a exaltação do bem estar que possibilita a vida e perpetua o mito do amor. (CUNHA, 2008)

Os contos de fada, as novelas, os filmes, os livros de romance e os realittys shows também colaboram para a manutenção deste mito, afinal:

Os mitos revivem os sentimentos, a imaginação coletiva da humanidade, e, acima de tudo, as imagens suscitadas pelo emprego do mito, serão o caminho perfeito para a captação do público leitor sedento de novidades e de stentido para as agruras do cotidiano. Neste momento, o mito deixa de ser apenas história [...], para se tornar uma forma de pensar e de conscientizar. (CUNHA, 2008)

A nossa literatura esta recheada de histórias tórridas de amores impossíveis ora com finais felizes, ora infelizes. Pode-se tomar como exemplo alguns romances da literatura brasileira, onde os conflitos de interesses, as lutas de classes dificultavam a união dos pares amorosos.  (CUNHA, 2008)


O amor é entendido na teoria de Stenberg (1986) como a variação em função da extensão três elementos básicos: a paixão, a intimidade e o compromisso. As variações possibilitam oito formas diferentes de amar.



Paixão
Intimidade
Compromisso
Desejo passageiro
X


Amizade

X

Companheirismo

X
X
Amor vazio


X
Amor romântico
X
X

Paixão fugaz
X

X
Amor consumado
X
X
X
Inexistência de amor




Vamos analisar os três elementos separadamente:

Paixão - O amor difere da paixão, especialmente no que se refere à forma como é sentido. A paixão é um conjunto de reações emocionais, de ordem biológica que é desencadeada de acordo com Fabichak (2010):

O sistema de atração [...] possui três características básicas: sentimentos de felicidades sobre o ser amado; pensamentos intrusivos, ou seja, pensamentos repetitivos sobre o amado [...] e um desejo ardente pela união emocional com o parceiro (p. 47).

Intimidade – Implica em partilhar ocorrências boas e ruins, uma vez que envolve a confiança na pessoa amada. Aliás, um dos aspectos que torna esta pessoa tão desejada é o fato de que ela não se mostra ameaçadora, portanto confiável (Observe que este conceito de confiabilidade varia de pessoa para pessoa). Se a pessoa é confiável, significa que você poderá contar com ela em diversos momentos. A intimidade é diferente da confluência, pois é possível manter uma relação de intimidade com alguém sem fundir-se a ela, mantendo a individualidade.

Compromisso – é o engajamento na relação que pressupõe levá-la adiante (até onde for possível), buscando a superação de adversidades.

E pra você... o que é o amor?

Referências

CUNHA, Maria de Lourdes da Conceição. Romantismo: o mito do amor impossível. 2008. [online]. Disponível em http://www.abralic.org.br/anais/cong2008/anaisonline/simposios/pdf/013/maria_cunha.pdf. Acesso em 24/06/2012

DICIONÁRIO Aurélio. Amor. [Online]. Disponível em http://www.dicionariodoaurelio.com/Amor.html. Acesso em 23 de junho de 2013.

FABICHACK, Cibele. Amor, Sexo, endorfinas e bobagens. São Paulo, 2010.

FROMM, Erich. A arte de amar. São Paulo. Martins Fontes. 1971

SOUZA, Tuhany Barbosa. Amor Romântico. Monografia de Conclusão de curso. UNICEUB, 2007.



amor na psicologia, psicologia do amor, psicologa amor, Psicologa Bradesco saúde SP, Psicologa Amil SP, Psicologa Omint SP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

psicologa convenio bradesco saúde

psicologa convenio bradesco saúde * reembolso*

♠ Agendamento: (11) 99984-9910


♦Consultório  Rua Domingos de Morais, 770  - Bl 01 sl 05 Vila Mariana - São Paulo -  SP
Atendimentos psicológico: ♥De segundas a sexta, das 7:00 as 23:00 ♥Sábados das 7:00 as 20:00


Terapia para crianças, adultos, casais, ajuda emocional, orientações e aconselhamentos. Primeira consulta grátis
Bradesco Saúde Psicoterapia

O atendimento a clientes Bradesco é feito por meio de reembolso. Para saber mais clique aqui:  Bradesco Saude
O atendimento a clientes conveniados é feito por Reembolso que é garantido pela LEI da LIVRE ESCOLHA (Agência Nacional de Saúde- ANS - Resolução 338 ). É direito do segurado realizar até 40 sessões de terapia por ano.

♠ O que é reembolso? É a restituição financeira ao segurado, das despesas médicas e hospitalares, por ele custeadas em atendimento particular.
♣ Quanto tempo demora? Em média 20 dias. Se a seguradora não cumprir o prazo,  o consumidor deve denunciá-la. A operadora também deve informar d…

Mitos e verdade sobre Psicoterapia

Mitos e verdade sobre Psicoterapia A psicologia é uma área do saber onde existem mais mitos que verdades absolutas, e isto porque, quando algumas informações caem no senso comum ( com a ajuda da indústria midiática), sofrem distorções quase impossíveis de reverter.

As informações mais distorcidas estão relacionadas ao processo psicoterápico. Alguns mitos encobrem as verdades, o que dificulta o trabalho do psicólogo.


Eis alguns deles:

Mito 1: O psicólogo deve mudar a "cabeça" das pessoas.Jamais. O psicólogo deve verificar junto ao seu paciente, quais os comportamentos excessivos ou deficitários devem ser modulados. Para isto é preciso levar o paciente a modificar alguns pensamentos. Isto se consegue por meio de técnicas como o questionamento socrático, role-play, atividades reflexivas, etc. O executor da mudança é o PACIENTE. O psicólogo só instrumentaliza.
Mito 2 "Psicoterapia é para a vida toda"Nem sempre. Existem casos que algumas sessões podem ajudar o paciente a se …

Término de relacionamento. Por que a superação é tão difícil?

O rompimento das relações afetivas provoca sofrimento comparado ao luto: falta de ar insônia, palpitações, taquicardia, são sintomas que tendem a surgir quando um indivíduo é rejeitado.
El fuego me recorre el cuerpo- el dolor de amarte. El dolor me recorre el cuerpo con las llamas del amor que siento por ti. La enfermedad del amor por ti me inunda el cuerpo. El dolor es como un furúnculo a punto de explotar de mi amor por ti. Consumido por el fuego de mi amor por ti. Recuerdo lo que me dijiste. Pienso en tu amor por mí. Me desgarra tu amor por mí. Dolor y más dolor. ¿Dónde te vas con mi amor? Me dicen que te irás de aquí. Me dicen que me abandonarás. Mi cuerpo está entumecido de dolor. Recuerda lo que te he dicho, mi amor. Adiós, mi amor, adiós". (Fisher, p. 11).
Mas porque isto ocorre?
O amor é articulado com as funções cerebrais por meio de dois hormônios que respondem pela estimulação sexual: a vasopressina nos homens e a ocitocina, nas mulheres. Estas substâncias favorecem a for…