Pular para o conteúdo principal

Você sabe amar?

Você sabe amar?



psicologa amo, psicologa bradesco, psicologa amil, são paulo, vila mariana




Continuação do texto A banalização do amor



Vivemos em um momento sócio-histórico onde o individualismo impera. 
A competitividade está presente até mesmo nas famílias;
A aparência é mais importante que a essência;
A comunicação é usada para produzir desentendimentos;
Autoestima é confundida com narcisismo.




Os sentimentos ruins como a inveja, o ciúme, a raiva e a frustração ditam as regras de conduta, criando sérias dificuldades de relacionamentos, levando-o a esquecer quem de fato você é...




Neste cenário, fica difícil vivenciar o amor da forma que deve ser vivenciado, uma vez que as relações afetivas são confundidas com relações de apego, criando sérias e intransponíveis dificuldades de vivenciar relações afetivas.




 Se você não mede esforços para agradar as pessoas, e para isto abre mão de seus valores e princípios básicos de moral, ética e personalidade, é hora de fazer uma reflexão.




Será que eu sei amar?



  • Estou me impondo demais ao outro, tentando fazer com que ele aceite minhas exigências absurdas?

  • Estou respeitando os limites do outro?

  • Estou deixando claro quais são os meus limites, dentro de uma relação?

  • Estou baseando minha relação em aparência física e/ou em bens materiais e conforto, esquecendo da pessoa?

  • Estou permitindo que a relação caia na banalização?

  • Estou contribuindo para que o outro cresça tanto dentro, quanto fora da relação?

  • Estou dando espaço para o outro? Estou respeitando o espaço que o outro me dá dentro da relação? Sei negociar estes espaços?

  • Faço uma análise crítica de mim mesmo (a), quando o outro reclama de algo? 

  • Sei pedir desculpas?

  • Sei desculpar?

  • Respeito os sentimentos do outro? sei exigir que respeitem meus sentimentos?

Estes são alguns pontos que podem colaborar para que você faça uma reflexão mais apurada sobre a forma como manifesta seu amor. Lembre-se que é mais fácil mudar do que lidar com o rompimento de uma relação afetiva.

Especialmente se você já vivenciou diversas relações amorosas fracassadas, creio que seja o momento de apertar o botão "pause" da sua vida afetiva, refletir, mudar e retomar, para que aprender a amar verdadeiramente.







Leia também

8 fatores que dificultam um relacionamento


7 dicas para a relação amorosa dar certo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como esquecer alguém?

Você estava em um relacionamento, que parecia promissor, mas de repente

As coisas começaram a desandar, e o inevitável término chegou....
ou
Estava tudo bem, mas a outra parte resolveu se desligar da relação.

Enfim, houve uma ruptura na relação, mas não no vínculo (pelo menos, da sua parte).

Supondo que todas as tentativas de reconciliação já foram esgotadas, não há muito o que fazer: o jeito é esquecer a pessoa e partir para outra relação, ou ficar algum tempo sozinho (a).

Mas como se esquece alguém?

Esta pergunta não tem resposta fácil, nem fórmula, nem dicas que funcionem de maneira eficaz, pois depende de como o indivíduo funciona afetivamente. 

No entanto, uma coisa é certa: para esquecer alguém é preciso:

1- Querer. 
O pensamento no outro não desaparecerá se você alimentá-lo. É preciso imposição de uma poderosa força de vontade, e capacidade de lidar com a dor e o vazio. Não dá pra esquecer alguém quando não se quer esquecer.

2-Força de vontade
Não basta querer. 

É preciso sustentar este que…

Psicóloga sp - Crianças, adultos, casais | psicologa convenio | Psicologa Planos de saude | Bradesco | Amil | Sulamerica | Omint | Porto seguro

Psicóloga sp - Crianças, adultos, casais | psicologa convenio | Psicologa Planos de saude | Bradesco | Amil | Sulamerica | Omint | Porto seguro Atendimento por reembolso. Saiba Mais.

Maris V. Botari - Psicóloga Clínica - CRP-SP - 06/121677 Desenvolvendo Habilidades Afetivas e emocionais. 

Psicoterapia para: Crianças, Adultos e Casal 

Psicologa Bradesco, Amil, Sulamérica, Omint , por reembolso

Agendamento de 1ª consulta psicológica Whatsapp (11) 9-9984-9910

Email: psicologamaris@gmail.com
Sites:Psicologia Sem FronteirasPsicologia dos RelacionamentosPsicoterapia em São Paulo
Psicoterapia: ajudando a adquirir ou manter a qualidade da vida afetiva, pessoal e emocional.

Tratamentos indicado para:
Ansiedade, Depressão, dificuldade de relacionamento (afetivo, social, profissional e familiar), necessidade de aceitação, baixa autoestima,lidar com sentimento de culpa, como manter um relacionamento feliz, carência afetiva, dependência emocional, desmotivação, estresse, dificuldade de comunicação, di…

Término de relacionamento. Por que a superação é tão difícil?

O rompimento das relações afetivas provoca sofrimento comparado ao luto: falta de ar insônia, palpitações, taquicardia, são sintomas que tendem a surgir quando um indivíduo é rejeitado.
El fuego me recorre el cuerpo- el dolor de amarte. El dolor me recorre el cuerpo con las llamas del amor que siento por ti. La enfermedad del amor por ti me inunda el cuerpo. El dolor es como un furúnculo a punto de explotar de mi amor por ti. Consumido por el fuego de mi amor por ti. Recuerdo lo que me dijiste. Pienso en tu amor por mí. Me desgarra tu amor por mí. Dolor y más dolor. ¿Dónde te vas con mi amor? Me dicen que te irás de aquí. Me dicen que me abandonarás. Mi cuerpo está entumecido de dolor. Recuerda lo que te he dicho, mi amor. Adiós, mi amor, adiós". (Fisher, p. 11).
Mas porque isto ocorre?
O amor é articulado com as funções cerebrais por meio de dois hormônios que respondem pela estimulação sexual: a vasopressina nos homens e a ocitocina, nas mulheres. Estas substâncias favorecem a for…