Pular para o conteúdo principal

Romantismo no século XXI

Romantismo no século XXI

Psicoterapia para: Crianças, Adultos e Casal  Desenvolvendo Habilidades Afetivas e emocionais.  Psicologa Bradesco, Amil, Sulamérica, Omint  Agendamento: Whatsapp (111) 9-9984-9910


A nova era tecnológica trouxe consigo algumas mudanças radicais no comportamento das pessoas, especialmente no que tange aos relacionamentos. Há alguns anos atrás, comunicar-se com um amigo levava dias, hoje basta um clique.

Temos ainda a chance de escolher os amigos, como quem escolhe roupas numa vitrine: teclamos com pessoas que têm, mais ou menos, o mesmo nível intelectual que nós.

Apesar de tantos avanços tecnológicos, ainda existem pessoas que insistem em viver presas romantismo medieval; vivem em função do outro, para o outro, pelo o outro, respiram o outro, temem o outro, e se deixam escravizar pelo outro, jogando no outro a responsabilidade pela sua felicidade, como se fosse possível tal transferência.

Chamamos isso de fuga esquiva: quando o sujeito foge de uma situação aversiva para encontrar conforto em outra situação.

Explico:

Algumas pessoas não se sentem plenas e não conseguem buscar satisfação pessoal em nada por diversos fatores [falarei sobre eles em outra oportunidade. Por hora ater-me-ei às consequências dos fatores]; soma-se a isso a influência da mídia impressa, cinematográfica e televisiva, onde o mito do amor romântico ainda impera, [o casal bonzinho sempre acaba junto no final como se um fosse o troféu do outro por bom comportamento] e temos aqui o resultado final: pessoas absurdamente carentes, dependentes, não só do afeto do outro, mas do outro em si.

Existe uma grande diferença entre emoções e sentimento elaborado:

As emoções são momentos de felicidade que sentimentos quando algo ocorre e nos toca de alguma forma, mas são geralmente passageiras.

O sentimento elaborado é pleno; não carece de emoções para se firmar. Ele é sacramentado e aconteça o que acontecer, estará de pé, firme e forte. As pessoas que possuem esse sentimento não têm necessidade de se complementarem no outro, porque a satisfação do relacionamento está dentro dela, e não na pessoa do outro. Tais pessoas vivem, estudam, trabalham, progridem na vida pessoal, independente do que ocorre na vida afetiva.

Em contrapartida, existem pessoas perdidas, em busca de emoções-a-todo-custo e satisfação imedita. Poucos têm noção do que seja um sentimento elaborado, pois as emoções, produzem efeito mais rápido, embora não sejam eficientes no trato da solidão.

Justamente por medo de sentirem-se solitárias e abandonadas, algumas pessoas buscam no outro essa plenitude. São pessoas que só conseguem ser felizes se tiverem alguém que lhes complete, poruqe não conseguiram tal satisfação de outra forma. Daí o sentimento de dependência.

Note que não estou me referindo a todos os casos, e sim, aos casos onde existe uma dependência patológica em relação ao outro. Quando se ama, é natural querer ficar juntinho. O que deixa de ser natural é esquecer r a sua vida para viver em função do outro.

Só pra finalizar, o romantismo Shakesperiano é algo que com a revolução tecnológica tende a cair em desuso, pois hoje é possível que as pessoas se sintam próximas umas das outras, mesmo que estejam em hemisférios diferentes. Dá pra amar e viver ao mesmo tempo!!

Comentários

  1. Gosto muito dos artigos de seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver meu Curso de Informática online.Emily Nascimento

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como esquecer alguém?

Você estava em um relacionamento, que parecia promissor, mas de repente

As coisas começaram a desandar, e o inevitável término chegou....
ou
Estava tudo bem, mas a outra parte resolveu se desligar da relação.

Enfim, houve uma ruptura na relação, mas não no vínculo (pelo menos, da sua parte).

Supondo que todas as tentativas de reconciliação já foram esgotadas, não há muito o que fazer: o jeito é esquecer a pessoa e partir para outra relação, ou ficar algum tempo sozinho (a).

Mas como se esquece alguém?

Esta pergunta não tem resposta fácil, nem fórmula, nem dicas que funcionem de maneira eficaz, pois depende de como o indivíduo funciona afetivamente. 

No entanto, uma coisa é certa: para esquecer alguém é preciso:

1- Querer. 
O pensamento no outro não desaparecerá se você alimentá-lo. É preciso imposição de uma poderosa força de vontade, e capacidade de lidar com a dor e o vazio. Não dá pra esquecer alguém quando não se quer esquecer.

2-Força de vontade
Não basta querer. 

É preciso sustentar este que…

Psicóloga sp - Crianças, adultos, casais | psicologa convenio | Psicologa Planos de saude | Bradesco | Amil | Sulamerica | Omint | Porto seguro

Psicóloga sp - Crianças, adultos, casais | psicologa convenio | Psicologa Planos de saude | Bradesco | Amil | Sulamerica | Omint | Porto seguro Atendimento por reembolso. Saiba Mais.

Maris V. Botari - Psicóloga Clínica - CRP-SP - 06/121677 Desenvolvendo Habilidades Afetivas e emocionais. 

Psicoterapia para: Crianças, Adultos e Casal 

Psicologa Bradesco, Amil, Sulamérica, Omint , por reembolso

Agendamento de 1ª consulta psicológica Whatsapp (11) 9-9984-9910

Email: psicologamaris@gmail.com
Sites:Psicologia Sem FronteirasPsicologia dos RelacionamentosPsicoterapia em São Paulo
Psicoterapia: ajudando a adquirir ou manter a qualidade da vida afetiva, pessoal e emocional.

Tratamentos indicado para:
Ansiedade, Depressão, dificuldade de relacionamento (afetivo, social, profissional e familiar), necessidade de aceitação, baixa autoestima,lidar com sentimento de culpa, como manter um relacionamento feliz, carência afetiva, dependência emocional, desmotivação, estresse, dificuldade de comunicação, di…

Término de relacionamento. Por que a superação é tão difícil?

O rompimento das relações afetivas provoca sofrimento comparado ao luto: falta de ar insônia, palpitações, taquicardia, são sintomas que tendem a surgir quando um indivíduo é rejeitado.
El fuego me recorre el cuerpo- el dolor de amarte. El dolor me recorre el cuerpo con las llamas del amor que siento por ti. La enfermedad del amor por ti me inunda el cuerpo. El dolor es como un furúnculo a punto de explotar de mi amor por ti. Consumido por el fuego de mi amor por ti. Recuerdo lo que me dijiste. Pienso en tu amor por mí. Me desgarra tu amor por mí. Dolor y más dolor. ¿Dónde te vas con mi amor? Me dicen que te irás de aquí. Me dicen que me abandonarás. Mi cuerpo está entumecido de dolor. Recuerda lo que te he dicho, mi amor. Adiós, mi amor, adiós". (Fisher, p. 11).
Mas porque isto ocorre?
O amor é articulado com as funções cerebrais por meio de dois hormônios que respondem pela estimulação sexual: a vasopressina nos homens e a ocitocina, nas mulheres. Estas substâncias favorecem a for…